1/1

SER OTIMISTA AJUDA A PREVENIR E COMBATER DOENÇAS


Um dos maiores motivos para uma pessoa ter vontade de conquistar seu espaço é a autoconfiança, e um fator crucial disso é o otimismo. Contudo, pesquisadores da Universidade de Boston acompanharam 70 mil mulheres e 1.400 homens por dez anos e comprovaram que independente do sexo, 11 a 15% tiveram mais tempo de vida, e mais de 70% terá a chance de chegar com mais facilidade aos 85 anos.


Parece algo superficial, mas não é. Para a Dra. Lewina Lee, PhD e professora-assistente de psiquiatria da Universidade de Boston, esse estudo é de extrema importância para a população mundial, pois revela que o otimismo é a forma mais saudável para alcançar qualidade de vida e melhorar na saúde física.


Aprofundando ainda mais essas pesquisas, pacientes com lúpus, câncer e tuberculose, quando aliam tratamento ambulatorial com o otimismo, conseguem controlar mais os níveis de ansiedade e do estresse e, com isso, conseguem suportar mais as dificuldades do tratamento, trazendo êxito ao controlar os sintomas, e consequentemente, a doença.


Existem duas divisões para classificar o otimismo: a) o disposicional, quando nos referimos normalmente, sendo a expectativa positiva constante e generalizada de obter bons resultados. Como tal, é consideravelmente estável; b) e o situacional, com uma expectativa concreta de obter resultado positivo em um contexto específico, surgindo diante de um evento concreto particular e estressante.


Conhecendo as dificuldades do dia a dia e sabendo as causas dos conflitos, a melhor prevenção para uma vida estável é o bom humor, a autoestima e muito otimismo para que as afirmações da Dra, Lewina para a construção e promoção da resiliência promovam um processo de envelhecimento com mais saúde, reduzindo a mortalidade de doenças crônicas por pessimismo.


Camilo First

Fone: (41) 9 9867-5934

camilofirst@yahoo.com.br