EDITORIAIS

As notícias, informações, dicas e opiniões com a qualidade dos melhores profissionais!

1/1

ESTRADA DO COLONO – ABERTURA OU NÃO?


A ESTRADA - O caminho conhecido como Estrada do Colono corta o Parque Nacional do Iguaçu e foi construído pelo governo do Paraná nos anos 50 para ter mais facilidade na colonização do Oeste do estado. Esta estrada é uma ligação do Oeste ao Sudoeste do Paraná, seu trecho é de aproximadamente 17,6 km. Seu impacto no meio ambiente era muito menor porque seu trafego era muito pequeno e o parque abrangia uma região muito maior de que hoje.

MUDANÇAS - A região onde passa a estrada trouxe muitas mudanças inclusive a de novos municípios para a região com a imensa derrubada da floresta, desencadeando a preocupação na conservação do Parque Nacional, pois ambientalistas começaram a lutar pela preservação do local as pesquisas feitas mostravam que com a estrada no meio do parque havia a perca da integridade das genéticas das espécies, extinção local de espécies, aumento de espécies exóticas comuns e quebra de importantes processos ecológicos como, por exemplo, a modificação do ambiente físico e químico, onde seus efeitos seriam notados a médio e me longo prazo.

PROBLEMATIZAÇÃO – No dia 24 de abril de 2020, O Supremo Tribunal Federal (STF) colocou um ponto final em uma disputa judicial que se arrastava há mais de 30 anos, enterrando definitivamente a ideia de se abrir uma estrada no Parque Nacional do Iguaçu, no extremo oeste do Paraná.

A Corte Suprema negou um último recurso apresentado por um grupo de municípios vizinhos ao parque que insistia, há mais de 30 anos, em tentar derrubar entendimento da Justiça de que o Parque do Iguaçu não comporta a abertura de uma estrada.

A gerente de Ciências do WWF-Brasil, Mariana Napolitano, considera a decisão do STF importante também porque ficam sedimentados os argumentos que restringem a possibilidade de existência de estradas ou outras intervenções no interior de Unidades de Conservação.


O tema Caminho do Colono é extremamente polêmico, fechar definitivamente ou reabrir, é um ato muito complicado. É preciso entender que o Parque tem valor internacional, pois é um Patrimônio Mundial da Humanidade. Todavia, antes de tudo, é uma reserva que pertence ao Brasil, depois ao Paraná é uma reserva que pertence ao Brasil, depois ao Paraná e principalmente à população lindeira ao Parque e é esta, a principal responsável por sua preservação.

(Renata Gonçalves - Colunista TV Online)

Camilo First

Fone: (41) 9 9867-5934

camilofirst@yahoo.com.br