EDITORIAIS

As notícias, informações, dicas e opiniões com a qualidade dos melhores profissionais!

1/1

BRUMADINHO - MG, E AGORA?


O rompimento da barragem 01 da Mina do Feijão, da Vale, no município de Brumadinho (MG), no dia 25 de janeiro de 2019, ocasionou um grande desastre ambiental. Desastre este bem parecido com o que ocorreu em 2015 no município de Mariana (MG).

A barragem rompida tinha como finalidade, de acordo com a Vale, a deposição de rejeitos, construída em 1976, a causa ainda são desconhecidas mas estão sendo investigadas e averiguadas. O rompimento da barragem não causou apenas prejuízos financeiros, como ambientais, emocionais e mortes de dezenas de pessoas e seres vivos.

Alguns dos problemas ambientais gerados:

  • Houve uma enorme perda da vegetação local e morte de diversas espécies de animais devido a grande quantidade de rejeitos e a velocidade com que foram liberados;

  • O solo também será afetado, pois com a grande quantidade de lama a sua composição será alterada, o que pode prejudicar o desenvolvimento de algumas espécies vegetais, sem falar que quando essa lama estiver seca afetará também a fertilidade do solo;

  • Os rejeitos atingiram o rio Paraopeba, que é um dos afluentes do rio São Francisco, a grande quantidade de lama torna a água impropria para o consumo e reduz a quantidade de oxigênio disponível, ocasionando a morte de animais e plantas aquáticas, consequentemente afetará os moradores que se beneficiavam com a pesca.

  • Entre outros impactos até o momento não mensurados.

E agora? O que fazer?

A principio deve-se:

  • Estancar o vazamento;

  • Iniciar a remoção do volume de lama;

  • Mapear danos para elaborar plano de recomposição da área;

  • Adotar medidas para evitar contaminação de nascentes;

  • Controlar proliferação de pragas e vetores de doenças.


Lógico que fora os danos ambientais, houve uma grande tragédia humana imensurável.

Camilo First

Fone: (41) 9 9867-5934

camilofirst@yahoo.com.br